Uma das aplicações da Mecânica Fina Plataformas PNE!


Página atualizada em 11/09/2005 => [11/06/2016: Alterações do sitio "Qual.html" e "E-mail(2016)"]
Editada por Paulo L. Pastore em 10/04/2000


Home Page de Mecânica Fina - "Feinwerktechnik" Elaboramos documentos e, enviamos via entregador!
Referência Eletrônica: "Wikipédia - Mecânica Fina" - Dê um clique no entregador, para receber "Mecânica Fina no Brasil".




"FEINWERKTECNIK"
Heinz Weissmantel, TH Darmstadt - Germany (cidade de origem)

1983 - Especialistas em Mecânica Fina - I Turma (foto abaixo)
Pós-Graduação em Mecatrônica "Lato Sensu"
Escola de Engenharia de São Carlos - EESC/USP

2005 - Paulo L. Pastore, Professor em Mecânica Fina
Pós-Graduação em Mecatrônica "Lato Sensu" (Curso extinto em final de 2005) na
Universidade São Judas Tadeu (Moóca - SP)

2003 - Paulo L. Pastore, Professor em Robótica
Fundador, orientador de sua equipe "Scorpion" (atual Uairrior)
Vencedores da Primeira Guerra de Robôs em 2001
Ciências da Computação e Engenharia de Controle e Automação
(classe "eletricitários - MEC,1994)
Escola de Engenharia de Itajubá - EFEI/UNIFEI


Fundador Prof. Dr. Otto A. Rehder, São Carlos - Brasil

Em pé: Eng. Mec. Pérsio, Eng. Mat. Amadeu Lombardi, Eng. Civil Rubens Rehder, Eng. Elétr. José Eraldo, Eng. Mec. Oswaldo, Eng. Mec. Hugo Colin, Eng. Mec. João de Oliveira, Eng. Mec. Paulo L. Pastore, Eng. Eletr. Auro Mitysuo, Eng. Mec. Osvaldo Magno, Eng. Mec. Airam Jonatas e, Eng. Mec. Paulo Politano.
Sentados: Prof. Dr. José Carlos Sabbe, Prof. Dr. Adilson Coimbra, Prof. Dr. Otto A. Rehder (in memorium) e, Prof. Dr. Carlos Goldenberb.


Resumo

Muitos já tentaram definir a "Feinwerktecnik" ou a Mecânica Fina. Os autores procuraram, seguir, resumir algumas tentativas de definição para compreender a posição da Mecânica Fina.

Alguns exemplos completam e detalham as tentativas de definição, em particular, da biotécnica. Deve-se observar que no Brasil a noção Mecânica Fina é sinonimo da noção alemã "Feinwerktechnik" e que a Mecânica Fina alemã é uma subdivisão de Feinwerktechnik.

1. Introdução e Histórico

Antigamente, os homens já tinham necessidade de enfeitar-se e de facilitarem a vida e o trabalho, em pequena e grande escala, por meio de dispositivos apropriados. Os "Museen" são utensílios diversos, inclusive para a aplicação na medicina, além de serem jóias gregas, egípcias, chinesas ou germânicas (LI).

Estes objetos, provavelmente, foram produzidos no inicio a mão. Xenofon (L4) relata que já existiam fábricas onde um número grande de escravos só produziam certas peças em grande quantidade. Outros, montaram estas peças isoladamente. Relata-se também (L7) que diversas peças foram produzidas em inúmeras regiões do mundo antigo, transportadas por mais de 7000 Kms e montadas em série formando bonitas luminárias na Grécia.

Inclusive os instrumentos médicos do tempo antigo, como a colher, a sonda, a espátula e a faca foram produzidas manualmente em oficinas especializadas, (L1,L2). Aqui, presupõem-se que os objetos cotidianos também se formaram por associações regionais, dividindo o trabalho, pelo menos nos tempos antigos, por volta de 400 a.c.

Todos os objetos citados são de materiais daquela época (L2, L3) Obsidian, Flint, Cobre, Bronze, Latão, Ferro forjado e mais tarde, incluse o ferro fundido, Ouro e Prata, de acordo com as suas funções e aplicações. Os "Parther", 300 a.c., conseguiram até revestir, com auxílio de uma pilha de U=0, 5V, com camadas finas de ouro, metais comuns (L7) -(tratamento superficial eletro-químico) e provavelmente com cobre uma madeira pré-tratada, tornando-a condutora.

Alguns elementos fundamentais da atual Mecânica Fina como a produção isolada de alta precisão, a produção em massa de pequenas peças, dispositivos e instrumentos sob consideração da antiga eletrotécnica, química e técnica já existiam a 2500 anos.

A idade média contribui com a ótica, a idade moderna com a eletrotécnica e a idade atual com os plásticos, a eletrônica e com os processos a jato da Mecânica Fina.

Como a eletrotécnica e a moderna eletrônica não foram consideradas como uma parte da Mecânica Fina algumas indústrias específicas de Mecânica Fina obtiveram consequências graves, no mercado de trabalho e na promoção, principalmente nas indústrias clássicas de relojoaria.

Desde l982 documenta-se na revista "Mecânico" que a Mecânica Fina e a eletrotécnica devem permanecer juntas. O subtítulo desta revista "Mecânica Fina e Precisão" existia até 1945 e era uma "Revista para promover a Mecânica Fina, ótica, eletrotécnica e áreas correlatas". Será que a eletrotëcnica não integrou a mecânica?

Após 1930, apareceu a palavra "Feinwerktechnik", ela forma uma combinação de fino de pequeno, do pequeno e ou do preciso, na indústria no sentido de acionamento, isto é, peças em trabalhos manuais, etc. e no significado técnico a forma, a sabedoria da arte.

Esta palavra abrange mais do que a Mecânica Fina. "Feinwerktechnik" concorreu neste tempo com a noção "Tecnologia de dispositivos finos" introduzido por Richter, Voss, Koser que ainda hoje é utilizada na DDR (Alemanha Oriental), através da influência do ensino de Mecânica Fina na TH de Dresden (L8).

Desde 1949, a noção "Feinwerktechnik" implantou-se na Alemanha Federal e serve de nome para uma revista. Na Suiça a noção técnica fina permanece. Nas regiões de linguagem inglesa a noção "Engenharia de Precisão".

No Japão utiliza-se no momento a noção "Mecatronic". Uma definição precisa da noção "Feinwektechnik"já foi muito pesquisada mas nunca concretizada (L9.10.11.12.15). Aqui não se pretende procurar outras definições e sim mostrar a meta e a posição.

2. Metas para definição de "Feinwerktechnik"

Existem duas realizações para definir as metas atuais da noção "Feinwerktechnik"que são os trabalhos de Kuhlenkamp de Braunschweig (L10.11) 1964 e de Brader, de Darmstadt (L12) 1966.

Após inúmeras tentativas de definição em forma da coletânea de listas longas de exemplos, Kuhlenkamp conseguiu uma definição soberana onde ele divide a Tecnologia em técnica dos dispositivos energéticos igual a tecnologia mecânica e outra em técnica de sinal. Todos os elos de uma cadeia de sinais, do sensor até o registro ou atuador, através da transformação de dados, são elementos construtivos da "Feinwerktechnik".

Estes elementos construtivos podem ser elementos puramente elétricos, eletromecânicos, óticos ou inclusive da "Feinwerktechnik" e Brader introduz uma definição mais precisa, por onde se desloca a "Feinwerktechnik" e a tecnologia mecânica em relação a técnica de sinal e a energética.


........ Vale a relação:

Tecnologia Mecânica ===> Energia
Feinwerktechnik ==> Sinal



........ Exemplos:

  • Barreira Ferroviária
  • Sino de Igreja
  • Regulador Centrífugo
  • Antena Fixa
  • Sinalização por Luz
  • Telescópio
e
  • Motor de Corda
  • Turbina Odontológica
  • Furadeira por Ultrasom
  • Motor de Lidificador
  • Diodo Retificador
  • Célula Solar

Assim consegue-se, classificar também exemplos críticos. Por fim podemos classificar elementos para junção da "Feinwerktechnik", como segue:

ÓTICA MECÂNICA
ELETRO MECÂNICA
ELETROTÉCNICA E ELETRÔNICA
ÓTICA ELETRÔNICA



3. Alguns Produtos Específicos da "Feinwerktechnik"

Na área biomédica devem auxiliar as tentativas de definição. Eles devem mostrar também como os produtos se modificam com as tecnologias modernas.

Prótese-garra
Agulhas de Injeção
Dispersor por Ultrasom
Mostrador LCD (Liquid Cristal Display)


E-mail: pluporinip@gmail.com

web page hit counters codes Free
Measure Website Visitors